Vacina HPV

10347094_1086601671358448_6052105199293687058_n

Oi amigas….

     Muito foi falado sobre a vacina HPV, que foi incluída para as meninas entre 9 e 13 anos de idade, muitas mães, pais e responsáveis se preocuparam pelas notícias sobre efeitos colaterais que foram apresentadas à população através da mídia e redes sociais, como sabem tenho uma filha nesta fase e também me preocupei na época, esperei um pouco para vaciná-la, posso garantir que não houve nenhum efeito colateral com ela, na época, as escolas apoiaram a ação e ministraram debates, palestras, e informações sobre o tema, o que considerei muito importante e válido, porém é chegada a hora de voltarmos ao tema.

     O Ministério da Saúde, lança novamente a campanha em redes sociais: Chegou o momento de vacinar novamente as meninas de 9 a 13 anos com a Vacina HPV‬. Para alertar os pais e responsáveis sobre a importância dessa vacina, leia a carta completa que as entidades médicas publicaram incentivando a vacinação:

carta-aberta-populao-vacina-hpv-1-638

 

     Cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. A segunda deve ser tomada seis meses depois, e a terceira, cinco anos após a primeira dose. Caso já tenham sido tomadas duas doses, ainda não é necessário a terceira dose.

      Tomar a vacina na adolescência é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve adotar para a prevenção do HPV e do câncer do colo do útero. No entanto, a imunização não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais. O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos.

      O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

       Mais do que a conscientização, devemos conversar com nossos filhos sobre os riscos e consequências de atos impensados que na maioria das vezes acontecem nesta fase, devemos orientá-los, meninas e meninas também, deixando aberto um canal de diálogo para as dúvidas que com certeza surgem nesta fase tão difícil que todos já passamos. Vejam o vídeo do Dr. Drauzio:

     Fonte: Blog da Saúde

assinatura-Bia

Deixe um comentário: