2ª Jornada do Patrimônio de São Paulo.

14054116_617047271789386_2588835529597427922_n

Oi amigas….

    A Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH), realiza no fim de semana dos dias 27 e 28 de agosto, a 2ª edição da Jornada do Patrimônio com o tema “Origens da Cidade”.

    Com o intuito de fomentar o conhecimento e a valorização do patrimônio histórico e cultural da cidade, o evento promove atividades de visitação a prédios históricos, além de roteiros de memória, apresentações artísticas e uma série de palestras e oficinas. A iniciativa, lançada em 2015, é inspirada nas Journées Européennes du Patrimoine, na França, e no Open House, em Nova York (openhousenewyork), nos Estados Unidos.

    Entre as novidades deste ano, está a parceria com o Sesc-SP, que contará com diversos passeios por rotas históricas da cidade e, pela primeira vez, o Museu da Cidade de São Paulo promove atividades de arqueologia em oito casas históricas simultaneamente para mostrar ao público um pouco da história do valioso acervo arqueológico paulista.

    A Jornada do Patrimônio também promove atividades voltadas para famílias, com intuito de instigar a educação e reconhecimento patrimonial no jovem cidadão. Na programação voltada para as crianças, há oficinas na Av. Paulista, visita à Biblioteca Infantojuvenil Monteiro Lobato e o roteiro “Escola mãe Achiropita – Praça Don Orione”, que apresenta às crianças conceitos básicos de urbanidade, valores históricos e patrimoniais da memória da cidade de São Paulo, salientando questões ambientais relativas à geografia e à paisagem.

    IMÓVEIS HISTÓRICOS ABERTOS

    Entre as atividades de maior interesse durante o evento está a visitação, em muitos casos com monitoria, a exemplares históricos tombados ou reconhecidos como importantes para a memória afetiva da cidade, pertencentes ao poder público ou propriedades particulares. Entre os exemplares arquitetônicos que remontam à origem da cidade de São Paulo, está a Capela de São Miguel, um dos bens tombados mais antigos da capital e que apresenta 90% de suas características originais desde a sua reconstrução, em 1622. Originalmente, ela foi construída em 1580 por índios Guaianá.

    O casarão que abriga atualmente o Bar Drosophyla, projetado em estilo “cottage”, é um projeto do arquiteto Adelardo Soares Caiuby, que foi erguido em 1920. É um exemplo moderno de como um bem tombado pode assumir um papel na sociedade mantendo suas características originais, mas adaptado para um novo uso. O local receberá visitas guiadas durante o domingo, a partir das 12h30.

    Além de tombado, o Edifício Apracs, localizado em Higienópolis, recebeu recentemente um novo reconhecimento: o novo selo de valor cultural criado pelo Conpresp. Para celebrar a novidade, a construção do arquiteto Artacho Jurado, que data do final da década de 1950, terá uma visita guiada no domingo, às 14h30. Outro projeto do mesmo arquiteto, desta vez localizado mais ao Centro da cidade, na Rua Maria Paula, é o Edifício Planalto. Inspirado na arquitetura alegre e colorida que testemunhou no Rio de Janeiro, o prédio construído em 1956 comemora 60 anos e promove, durante a Jornada, visitas guiadas no sábado e no domingo, entre 14h e 16h.

    Entre as construções do Centro Histórico da cidade, destaca-se o exemplar construído em 1910, batizado de Palacete Tereza Toledo Lara. O projeto de Augusto Fried tem uma arquitetura eclética receberá visitação guiada durante o sábado, entre 9h e 14h.

    ROTEIROS DE HISTÓRIAS

    Desde o período colonial, a ocupação do território brasileiro foi direcionada pela abertura de caminhos que ligavam as primeiras povoações do litoral a outros pontos do interior. Para identificar e entender a história dessas rotas, o Sesc-SP e o DPH promovem o programa “Caminhos antigos da cidade de São Paulo”, que oferece cinco opções de passeios por trajetos que ajudaram a estabelecer as linhas de expansão da cidade. São eles: Caminho de Santos, do Vale do Paraíba e São Miguel, do Guaré, de Campinas e de Pinheiros-Sorocaba.

    A parceria também traz roteiros sobre o patrimônio, como uma visita à Casa de Vidro, primeiro projeto construído da arquiteta italiana Lina Bo Bardi, e um passeio ciclístico que percorre pontos históricos da zona leste da cidade, entre eles a Casa do Tatuapé e a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, na Penha.

    Durante a Jornada, também será possível conhecer a cultura Guarani no roteiro “Cultura do povo Guarani Mbya na capital de São Paulo”, que propõe uma visita ao TI Tenondé Porã, uma comunidade indígena, na qual os visitantes poderão entrar na casa de reza e fazer uma trilha.

    Outros passeios pelos bairros do Bixiga, Brás, Luz, Aclimação e ao Parque Ibirapuera completam a programação.

    ARQUEOLOGIA DA CIDADE

    Para reforçar a temática desta edição, a programação com foco em arqueologia estará reforçada. Oito casas históricas do Museu da Cidade de São Paulo recebem vitrines compostas por vestígios arqueológicos evidenciados em escavações realizadas no início dos anos 80 até escavações mais recentes. Cada casa irá receber painéis contando seu histórico e o das escavações arqueológicas com objetos que mostram o cotidiano de seus antigos moradores ou frequentadores. O Sítio Morrinhos, cuja programação é composta por duas exposições de arqueologia, irá promover duas oficinas, uma de cerâmica e outra sobre a técnica de construção com taipa.

    Em algumas vitrines, teremos o fragmento de cerâmica que representa o armazenamento de comida, água e preparo de alimentos, assim como as sementes representam a coleta, o cultivo e os temperos.

    Confira os detalhes do que será exposto em cada uma das casas históricas do Museu da Cidade de São Paulo selecionadas para compor este painel:

    Sítio da Ressaca

    Será apresentada uma vitrine com os materiais coletados na escavação realizada nos anos 70. As peças compostas por louças, metais e ossos de animais, foram dispostas de forma a dar movimento em uma cena de refeição.

    Casa do Tatuapé

    O visitante poderá observar três vitrines cada uma contendo vestígios arqueológicos relacionados ao preparo da comida, ao trato do corpo e materiais relacionados à construção da casa.

    Casa do Grito

    Duas vitrines irão complementar a exposição “História de uma casa de pau-a-pique”. Uma vitrine irá compor o momento de uma refeição com os objetos arqueológicos e a outra irá mostrar os objetos relacionados ao cotidiano.

   Casa do Sertanista

    Recentemente foram realizadas sondagens arqueológicas no entorno da casa. Pouco material foi encontrado, mas fragmentos de brinquedos do século XX foram evidenciados. Expostos em uma vitrine, esses objetos, ainda que de plástico, demonstram o universo infantil que é pouco explorado no contexto arqueológico.

    Solar da Marquesa de Santos

    Serão apresentadas quatro vitrines com materiais encontrados nas escavações realizadas nos anos 80 e em 2008. Os objetos encontrados fazem referência ao cotidiano da casa. Em destaque será o acesso aos fundos do imóvel, onde o visitante poderá observar um muro encontrado durante as escavações arqueológicas. Acesso permitido somente no período da Jornada do Patrimônio.

    Casa da Imagem (antiga Casa nº 1)

    Fragmentos de pratos do século XVII, chaves antigas e fragmentos de cerâmica, resultantes das diferentes ocupações que ocorreram no imóvel, irão compor a vitrine que ficará exposta somente no período da Jornada do Patrimônio.

    Beco do Pinto

    Será instalado um painel que acompanhará as vitrines com os antigos pisos do Beco.

    Casa do Bandeirante

    Haverá a apresentação de painéis sobre o projeto de investigação arqueológica “Sítioescola Casa do Bandeirante”. Escavada pela primeira vez em 2013, a casa revelou uma grande quantidade de material arqueológico, que no presente momento está em processo de análise. Vários vestígios faunísticos, vítreos, louças e objetos cerâmicos (utensílios domésticos e materiais construtivos) foram evidenciados.

    PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA

    Na noite de sábado, a Biblioteca Mário de Andrade promove a festa “A Intrusa”, com apresentação de repente entre os artistas Guto Lacaz e Antônio Cabral, seguida do debate “Silêncio, Ruído, Vigília e Esquecimento” com participação do artista Sergio Fingermann, Luiz Armando Bagolin, diretor da biblioteca, e a escritora Verônica Stigger. Para fechar noite, a discotecagem da festa fica por conta do filósofo Vladimir Safatle.

    Já no dia 28, a Avenida Paulista recebe diversas atividades voltadas para a família. Dentre elas estão oficinas de argila, apresentação de Rodas de Choro e intervenções artísticas a partir das 10h. A intervenção artística Cidade das Crianças, da Companhia do Caju, acontecerá no vão livre do MASP e conta com diversas atividades de convivência, entre elas, oficinas de argila na qual as crianças terão a oportunidade de fazer esculturas inspiradas em prédios e monumentos importantes da cidade.

    Entre as atrações musicais, o músico Renato Teixeira se apresenta na companhia do seu filho, Chico Teixeira, no Teatro Arthur Azevedo, dia 28, às 19h. No repertório, clássicos da música caipira como “Romaria” e “Amanheceu”.

     O show em formato voz e violão de Davi Moraes, filho de Moraes Moreira, encerra a 2ª Jornada do Patrimônio na cobertura do Edifício Martinelli, às 17h do domingo.

    Sempre Mais, trazendo oportunidades para você se aprimorar, aprender, crescer e colocar aquele sorriso lindo em seu rosto!

assinatura-Bia

Deixe um comentário: